sábado, 30 de janeiro de 2010

cultura popular.


de fato havia algo acontecendo dentro dele. olhos de trator sugando e atropelando olhares-grama-verde.
a vontade de simplesmente deixar sair aquela lingua enorme que crescia dentro da boca e inchava, era libertadora, só por já ser vontade. com o intestino completamente obstruído ele decidiu falar, talvéz assim conseguisse evacuar por conta do nervosismo.
"mãe, estou grávido! andei me envolvendo com parceiros diversos da cultura regional, e agora estou gravemente grávido de idéias revolucionárias e populares! só consigo me ver no mundo, cuidando desse meu rebento-ideia e dançando cirandas!"
a mãe, perplexa com a promiscuidade de sua cria, chorou no sofa marrom de couro de porco, enquanto ele já não suportava sentar naquela pele.

3 comentários:

c. disse...

esplendidamente perceptiva. um perigo!

Anônimo disse...

uma graça.
um homem grávido, que gravidez de fato!

pim la piel disse...

:)