segunda-feira, 30 de novembro de 2009

...

pintou a unha, jurando que aquilo ia mudar sua vida.
então, para que a mudança fosse certa e realmente decisiva, cortou o cabelo e vestiu algo com estampas fortes e agressivas.

...

por dentro, nada aconteceu.

5 comentários:

..I..Darc..ie disse...

... é o que é, sempre assim.

Anônimo disse...

Enjôo de tanto balanço, de tanta falta de chão pra pisar. O remo apertado pelo meu braço doido leva minha prancha em voltas. A estação muda e longe aparece uma ilha, daquelas que você daria tudo pra naufragar. O vento parece contra e eterno, nego! Produzo o suor que aperta o remo e enfim - chego. Estar parece mais bonito, mais calmo, mais a’conch’egante, ali começo a viver, a criar, planejar um futuro pro presente. Alguns ventos parecem bater contrários e sinto ama, mas vento passa, vento volta... vento volta, vento volta, VOLTA! Leva minha prancha e me leva junto. Novamente naufrago.

Cleo C. disse...

é aí que vc se engana. Por dentro é que tudo acontece. Por fora é só reflexo.

A. Emanuel disse...

"(...) talvez porque, dois dias antes, o amor morrera ."

Priscila Maria disse...

e não é que isso acontece mesmo? nem sempre o de dentro está compassado com o de fora, às vezes o corpo pede ritmo. e a gente não pode dar.